Connect with us

Direitos do Trabalhador

25% da população das metrópoles vive em situação vulnerável

Publicado

on

Cerca de 1/4 da população brasileira que vive em metrópoles está em situação de vulnerabilidade social neste exato momento. É o que mostram os números do novo boletim Desigualdade nas Metrópoles. O estudo foi realizado por pesquisadores da PUC-RS, do Observatório das Metrópoles e da Rede de Observatórios da Dívida Social na América Latina (RedODSAL).

Segundo as informações do estudo, eles levaram em consideração os dados oficiais mais recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o levantamento, a taxa de vulnerabilidade social nas metrópoles cresceu entre o final do ano passado e o primeiro trimestre deste ano.

Na parte final de 2021, o mesmo estudo apontou que 22,6% da população brasileira que vive em metrópoles estava em situação de vulnerabilidade social. A taxa era considerada alta pelos pesquisadores, mas também representava uma queda em relação aos números anteriores. Durante o início da pandemia, em 2020, a taxa registrada foi de 29,7%.

Os dados do início de 2022 mostram que a situação voltou a piorar. Para inserir uma família na situação de vulnerabilidade social, o estudo considerou a renda per capita de cada lar. Os vulneráveis são aqueles que precisam viver mensalmente com 1/4 do salário mínimo, ou seja, R$ 303 por pessoa neste momento.

publicidade

Hoje, estima-se que pouco mais de 21,1 milhões de brasileiros que moram em metrópoles têm algum nível de vulnerabilidade social. Parte deles conseguem ser beneficiados por programas sociais pagos por ao menos uma das esferas do governo. No entanto, outra parte segue nesta situação sem conseguir receber nenhuma ajuda.

O Auxílio Brasil

Dados do Ministério da Cidadania apontam que o Auxílio Brasil pago pelo Governo Federal atende atualmente pouco mais de 18,15 milhões de brasileiros. O número é notadamente menor do que a quantidade de cidadãos que estão em vulnerabilidade social.

Vale lembrar ainda que a pesquisa divulgada nesta semana leva em consideração a situação de vulnerabilidade apenas das pessoas que vivem em metrópoles. Dessa forma, é possível imaginar que a quantidade de brasileiros nesta situação seja maior.

Segundo dados da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), pouco mais de 1,3 milhão de pessoas estão na fila de espera para o recebimento do Auxílio Brasil neste momento. Os números são referentes ao último mês de março. São os dados mais recentes.

Ajuda nas metrópoles

O cidadão que vive nas metrópoles, está em situação de vulnerabilidade social e ainda assim não recebe nenhuma ajuda, pode procurar a prefeitura da sua cidade para tentar criar um perfil no Cadúnico do Governo Federal.

publicidade

A simples entrada na lista não garante o recebimento automático de nenhum benefício social. Todavia, a inscrição faz com que o cidadão tenha um aumento de chances de seleção para programas de todas as esferas do governo.

Do ponto de vista federal, o Ministério da Cidadania utiliza as bases do Cadúnico para decidir quem são as pessoas que recebem vários dos seus programas sociais. Estamos falando de benefícios como o Auxílio Brasil e até mesmo o vale-gás nacional.

publicidade
Clique e Deixe seu Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.