Mais uma baixa deixa Ibovespa em patamares de dezembro

Selic
[Imagem: Pexels - reprodução]

O Ibovespa fechou mais um pregão registrando baixa nessa quarta-feira (15).

Analistas creditam à política nacional a insegurança que os investidores alegam para investir no Brasil.

O dia começou bem

A quarta-feira começou com dados positivos na economia brasileira, o que não refletiu no Ibovespa.

Pela manhã, a divulgação do IBC-Br, tido como a “prévia do PIB”, veio acima das expectativas do mercado. O avanço foi de 0,6%, antes 0,4% esperado pelos analistas financeiros.

Com isso, o crescimento da atividade econômica subiu 5,53% em relação ao mês anterior. Já no acumulado de 12 meses, o IBC-Br subiu 3,26%.

As notícias ruins

Apesar da boa notícia na economia, alguns acontecimentos na política nacional pesaram sobre o Ibovespa.

Dentre eles, o fechamento de processos contra o ex-presidente Lula colocaram novas expectativas sobre as eleições do ano que vem.

Saiba mais aqui.

Além disso, notícias de que a China estaria ocupando espaços do Brasil na economia da Argentina pesaram sobre as perspectivas econômicas. No caso do Brasil, a Argentina é a principal importadora de automóveis brasileiros, uma indústria que gera milhares de empregos por aqui.

Falando em China, a desaceleração da economia por lá preocupa o mundo. Isso porque o crescimento da produção internacional depende dos insumos fabricados por lá, ao mesmo tempo que a produção de lá depende da compra de insumos de diversos países.

Por isso, com uma produção crescendo menos, os parceiros comerciais da China terão que encontrar novos meios de vender sua produção.

Luz no fim do túnel

Apesar das sucessivas quedas do Ibovespa, analistas dizem que é um momento para ficar de olho no mercado.

Isso porque as quedas não se deve a problemas nas empresas e, por isso, é possível comprar as mesmas empresas por valores descontados.

Com isso, é a hora de os investidores de longo prazo fazerem seus preços médios caírem, o que é excelente no longo prazo.

Além disso, a procura por empresas consolidadas no mercado, como os grandes bancos e o setor de energia, pode ser uma boa estratégia para aqueles que desejam investir nos dividendos a preços mais baixos.

Também, preços de ações mais baixos tendem a aumentar o dividend Yield das empresas, o que pode ser uma excelente estratégia para empresas que, porventura, passem a pagar acima da Selic.

Vale ressaltar que mesmo com as quedas do curto prazo, os índices mundiais tendem a fechar no positivo em mais de 90% das décadas, segundo alguns estudos americanos.

Assim, manter a calma é a prioridade.

Ibovespa
[Foto: Pedro França/Agência Senado]

Selic no radar

O peso do Ibovespa também tem parte de culpa pela Selic crescente.

Faz mais sentido investir em títulos seguros com boas rentabilidades, como Selic e IPCA, a investir em renda variável, que tem maior risco e que podem gerar menos retorno.

Isso veio à tona quando o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que a instituição manterá o que chamou de “plano de voo”, e que não medirá esforços em aumentar a Selic para segurar a inflação.

Mesmo assim, as expectativas de recuperação econômica ainda ficam atreladas à vacinação no país, que parece andar em boa velocidade.

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Pensar Cursos - mais de 1400 cursos gratuitos. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui