Connect with us

Direitos do Trabalhador

Inflação: Auxílio Brasil ideal deveria ser de R$ 417, aponta DIEESE

Publicado

on

Atualmente, o valor mínimo de R$ 400 do Auxílio Brasil do Governo Federal já está defasado em relação ao crescimento da inflação. É o que aponta o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), quando se considera os valores das cestas básicas nas mais diferentes regiões do país.

O Departamento afirma que o pagamento mínimo ideal para os repasses deveria ser R$ 417. O valor não considera um aumento real, mas apenas uma elevação para cobrir a alta da inflação. A elevação ajudaria as pessoas a não perderem o poder de compra com o passar dos meses e a piora nos índices econômicos.

Quando se considera os dados do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), entre janeiro e abril, a inflação ficou em 4,31%, o que deveria elevar o pagamento do Auxílio Brasil para a casa dos R$ 417. No entanto, vale lembrar que os repasses do programa não consideram a questão da situação da economia.

O texto oficial do Auxílio Brasil apenas afirma que o Governo tem obrigação de pagar, ao menos, R$ 400 por família. É importante notar que os patamares podem ser pagos acima desta casa. Todavia, dados do próprio Ministério da Cidadania apontam que a maioria dos usuários do programa recebem mesmo o valor mínimo.

publicidade

Também é preciso lembrar que o Governo paga agora o maior valor para um projeto social fixo na história do Brasil. Quando chegou ao fim, o antigo Bolsa Família pagava uma média de R$ 189. De toda forma, o Auxílio Brasil ainda tem valores inferiores aos do antigo Auxílio Emergencial, que chegou a pagar R$ 600 por pessoa em 2020.

Valor da cesta básica

Na última semana, o DIEESE também divulgou dados dos preços médios das cestas básicas no país. Entre os meses de março e abril, o valor subiu em todas as 17 capitais que divulgam os seus números para o Departamento.

Em alguns casos, o valor médio da cesta básica custa mais do que o dobro do que é pago no Auxílio Brasil. Em São Paulo, por exemplo, o preço médio foi de mais de R$ 800 no último mês de abril. Trata-se da cesta mais cara do país.

Entretanto, a situação não piorou apenas na cidade de São Paulo. Nas demais capitais pesquisadas, é possível notar que o valor mínimo de R$ 400 do Auxílio Brasil não é suficiente para pagar uma cesta básica no cenário atual.

Mudanças não alteram valor do Auxílio Brasil

Nas últimas semanas, o Congresso Nacional se debruçou sobre a Medida Provisória (MP) que cria o Auxílio Brasil. O texto passou pela aprovação dos parlamentares tanto na Câmara dos Deputados, como também no Senado Federal.

publicidade

Entre as alterações impostas pelos parlamentares está a transformação do Benefício Extraordinário em um complemento permanente. A lei atual prevê que o complemento seja pago apenas até o final deste ano.

No entanto, a alteração não muda os valores dos recebimentos do benefício. Na prática, as pessoas seguirão recebendo nos próximos meses, o mesmo que já estão recebendo agora, independente das oscilações da inflação no país.

publicidade
Clique e Deixe seu Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.