Connect with us

Bancos

Depois de brigar com a XP, Itaú compra corretora Ideal

Publicado

on

Três meses após ter desavenças com a maior corretora do Brasil, a XP, o Banco Itaú anunciou a aquisição de 100% das ações de uma corretora digital, a Ideal Investimentos. A compra marca um processo de entrada do banco no setor de varejo de investimentos. Isso porque os investimentos em bancos são fortemente criticadas pelo conflito de interesses e pelas altas taxas.

Com isso, o Itaú terá mais uma empresa para o seu guarda-chuva e a perspectiva é de aumentar, ainda mais, o número de investidores na bolsa brasileira. Recentemente, os grandes bancos estão adquirindo corretoras para tentar ampliar o leque de investidores em suas bases.

Brigou com a XP

Antes de comprar a Ideal Investimentos, o banco Itaú teve uma severa briga com a XP, envolvendo a compra da corretora. Isso porque o Banco Central proibiu que o banco adquirisse 100% da empresa. Em nota, o BC informou que o Itaú poderia ter, no máximo, 49,9% da empresa, algo que o banco já tinha.

A compra da XP pelo Itaú tinha três etapas. Na primeira, o banco adquiriu os 49,9% da corretora. Posteriormente, haveria a compra de mais 25% da empresa, em duas partes de 12,5% cada. Contudo, na segunda compra de 12,5%, o Banco Central atuou proibindo as transações. Diante disso, houve troca de farpas na internet de um lado para o outro. A XP chegou a usar o nome do Itaú em suas campanhas de marketing, algo que não gerou bons retornos à empresa.

publicidade

Contudo, o Itaú tem como plano atuar no setor do varejo em corretoras. Diante dessa nova expansão de mercado, o banco comprou o controle de 100% da Ideal Investimentos, que têm uma parcela mínima no mercado. Segundo a transação, o Itaú avaliou a empresa em R$1,3 bi. Assim como na XP, a compra da Ideal será dividida em fases.

Foto: Itaú | Divulgação

As fases de compra do Itaú

O Itaú anunciou a intenção de comprar 100% da ideal através de dois aportes diferentes. O primeiro, que foi anunciado hoje, e o segundo, que ocorrerá em 2027 ou posteriormente. No final da transação, o banco terá a opção de comprar 100% da corretora Ideal, 100% digital e nova no mercado. Além disso, o Itaú afirmou que a compra permitirá que o banco atue e forneça mais produtos ao mercado brasileiro.

Em nota, o banco informou que a primeira compra foi de 50,1% do capital social e votante da corretora. O valor desse aporte foi de R$650 milhões. o que faz o Itaú ter o controle da companhia. Após 5 anos, o Itaú terá a possibilidade de comprar os 49,9% faltantes, contudo, analistas afirmam que isso será feito a preço de mercado da data, não relacionado com o preço de hoje.

Dessa forma, caso a corretora cresça fortemente, o banco precisará pagar ainda mais pelos 49,9% faltantes. Apesar disso, analistas acreditam que esse prazo servirá para determinar se é, ou não, um bom negócio para o banco. Contudo, apesar de ter o controle acionário da empresa, o Itaú informou que as decisões da corretora seguirão sem interferências do banco.

publicidade
publicidade
Clique e Deixe seu Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.