Connect with us

Economia

Com a Selic em 13,25%, qual o melhor Tesouro Direto?

Publicado

on

Com a alta taxa de juros, a renda fixa vem ficando cada vez mais atrativa. E no Brasil, um dos meios mais fáceis de investir nessa modalidade é através do Tesouro Direto. Contudo, existem três tipos diferentes de títulos e, por isso, é importante saber onde investir atualmente. Dessa forma, ouvimos especialistas para entender onde investir agora.

Vale lembrar que a renda fixa também contempla títulos privados, como CDB, LCI, LCA e até mesmo fundos de investimentos. Por isso, o Tesouro Direto não é a sua única opção, mas ainda tem os ativos mais seguros do mercado brasileiro.

Taxa de juros em alta

A taxa de juros do Brasil está alta. Contudo, especialistas acreditam que esse aperto monetário está perto do fim. Por outro lado, é preciso entender os motivos da alta do juros, que também afeta as decisões de investimentos em Tesouro Direto. Diante disso, antes de comprar esses produtos, é preciso entender o cenário da economia internacional.

Diante da guerra da Ucrânia, o mundo viu a quantidade de petróleo cair no mundo. Porém, ao mesmo tempo que a produção caiu, a demanda pelo produto continuou a mesma e, por isso, a cotação internacional subiu bastante. Por conta disso, a inflação subiu bastante e, atualmente, está acima dos 11%. Para fazer a inflação cair novamente, o governo optou por aumentar a taxa de juros. Segundo especialistas, a estratégia vem dando certo e as expectativas de inflação já são menores para o fim do ano.

publicidade

Por isso, existem dois tipos de produtos recomendados no Tesouro Direto no atual cenário. Contudo, analistas dizem que o ideal é diversificar a carteira de investimentos entre mais produtos, mesmo que você seja apenas um investidor de perfil conservador.

Reprodução Freepik

Qual o melhor Tesouro Direto para comprar?

Especialistas acreditam que existe dois tipos de Tesouro Direto para comprar no atual cenário. O primeiro é por conta das taxas, enquanto o segundo é por conta do cenário futuro, que tende a ser menos rentável do que o atual. Além disso, vale lembrar que o valor mínimo desses produtos é baixo e, por isso, qualquer pessoa pode comprar com valores a partir de R$30,00.

A primeira recomendação é o Tesouro Prefixado. Isso porque ele paga bons rendimentos quando a taxa de juros está alta. Além disso, esse prefixado se estende por anos. Isso quer dizer que você pode receber 12% a 14% durante 4 anos ou mais. Com isso, você transforma R$100 em R$157,35 nesse período sem fazer nada. Isso dá um rendimento total de 57,35%, que pode ser acima do rendimento da renda variável, como a bolsa de valores.

A segunda recomendação de Tesouro Direto é investir no Tesouro IPCA+. Isso porque, mesmo com a inflação desacelerando, ela deve ficar em torno de 8,8% em 2022, segundo o COPOM. Acontece que esse título paga a inflação e mais uma taxa anual, que atualmente está em 5,5% ao ano. Dessa forma, mesmo se a inflação ficar em 0%, você sempre ganhará 5,5% de rendimentos reais.

publicidade

Por outro lado, o atual cenário não é um bom investimento para o Tesouro Selic em termos de rentabilidade. Esse título segue sendo recomendado para a sua reserva de emergência.

O post Com a Selic em 13,25%, qual o melhor Tesouro Direto? apareceu primeiro em Brasil123.

publicidade
Clique e Deixe seu Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.