Connect with us

Destaques

Ciro Gomes é alvo de busca da Polícia Federal

Publicado

on

A Polícia Federal foi até a casa de Ciro Gomes, cumprindo um mandato de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira, 15. A acusação é a de Ciro esteja envolvido em um esquema de irregularidades na construção da Arena Castelão, no Ceará, entre 2010 e 2013. Isso porque na época, Cid Gomes, irmão de Ciro, era governador do Ceará. Além de Ciro, Cid também foi alvo da busca da PF.

Apesar do ocorrido, Ciro Gomes nega todas as acusações e afirma que processará judicialmente todos os envolvidos. Posteriormente, em uma rede social, ele ainda atacou o presidente Jair Bolsonaro. Mais tarde, em entrevista à Bandeirantes, ele deu mais detalhes.

Qual a suspeita?

A Polícia Federal investiga um suposto esquema de favorecimento público em relação a empreiteiras que fariam a ampliação da Arena Castelão. Isso porque o estádio, que foi palco da Copa do Mundo FIFA de 2014, foi alvo de uma licitação para a construção e reformulação do espaço, visando atender aos requisitos do evento. Na época, segundo as suspeitas da PF, Cid Gomes teria pedido propina para que a empresa ganhasse a licitação.

Com isso,  um integrante da empreiteira Galvão Engenharia teria dito à polícia, em delação premiada, que foram pedidos valores extras, fora dos contratos, para que a empresa ganhasse a licitação. Contudo, ao entrevistar novos funcionários do alto escalão, a PF também afirma que todos disseram que nunca tiveram contato com Cid ou Ciro Gomes. Apesar disso, há suspeitas de pagamentos sistemáticos para ambos, algumas disfarçadas de doações políticas. O presidenciável ainda afirma que o menor preço venceu a licitação, como manda a legislação brasileira. Ainda, ele fala que foi o estádio mais barato da Copa do Mundo.

publicidade

Apesar disso, a Polícia Federal foi até a casa de Ciro Gomes e Cid Gomes. À imprensa, a PF divulgou que não encontrou documentos ou qualquer objeto suspeito. Além disso, Ciro e Cid tiveram os sigilos bancário e telefônico quebrados.

Ciro Gomes falou à Rádio Bandeirantes a sua versão dos fatos. Foto: RB | Reprodução

O que disse Ciro Gomes?

Posteriormente, ainda pela manhã, à Rádio Bandeirantes, Ciro Gomes se disse inocente e que processará todos os envolvidos no episódio. Anteriormente, em suas redes sociais, Ciro atacou o presidente Bolsonaro. Ciro é pré-candidato à presidência e nunca havia sido alvo de nenhuma operação ou acusação de corrupção. O candidato do PDT não fica entre os três primeiros em nenhuma pesquisa.

Não tenho nenhuma ligação com os supostos fatos apurados. Não exerci nenhum cargo público relacionados com eles. Nunca mantive nenhum tipo de contato com os delatores. O que, aliás, o próprio delator reconhece quando diz que nunca me encontrou“, disse Ciro Gomes pelo Twitter. “Não tenho dúvida de que esta ação tão tardia e despropositada tem o objetivo claro de tentar criar danos à minha pré-candidatura à presidência da república. Da mesma forma tentaram 15 dias antes do primeiro turno da eleição de 2018“, completou o presidenciável.

Ao finalizar a nota, Ciro ainda disse que nunca se deu como intimidado por seus “inimigos” e que eles não calarão sua voz. Contudo, a Polícia Federal segue estudando o caso e buscando provas. Apesar disso, Ciro Gomes e Cid não sofreram nenhuma ação penal. A PF se retirou dos locais normalmente, sem provas.

Ainda pelo Twitter, o ex-presidente Lula e a ex-presidente Dilma Roussef lamentaram o ocorrido e prestaram apoio ao pedetista. “Quero prestar minha solidariedade ao senador Cid Gomes e ao pré-candidato a presidente Ciro Gomes, que tiveram suas casas invadidas sem necessidade, sem serem intimados para depor e sem levar em conta a trajetória de vida idônea dos dois. Eles merecem ser respeitados”, disse Lula.

publicidade
publicidade
Clique e Deixe seu Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.