Connect with us

Direitos do Trabalhador

Voucher: Paulo Guedes não deverá se opor a auxílio para caminhoneiros

Publicado

on

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, não deverá se opor aos pagamentos de um novo voucher para os caminhoneiros. Recentemente, o Governo Federal sinalizou que poderá pagar um auxílio mensal de R$ 400 até o final do ano para autônomos desta categoria. A proposta será discutida no Congresso Nacional dentro de mais alguns dias.

A posição de Guedes é vista como importante dentro do Palácio do Planalto. Ele é o responsável pela pasta econômica e tem poder sobre os rumos dos gastos públicos no governo do Presidente Jair Bolsonaro (PL). Nos últimos meses, ele se opôs a uma série de ideias que previam a criação de auxílios sociais para os mais pobres.

Recentemente, por exemplo, Guedes foi contra o plano de prorrogar o Auxílio Emergencial mais uma vez. Ainda no final do ano passado, ele disse que o Governo poderia recuperar os empregos perdidos para fazer com que os “órfãos” do programa passassem a ganhar um salário e não mais dependerem de projetos sociais. O benefício não foi prorrogado.

Por outro lado, Guedes também se posicionou de forma contrária ao aumento nos valores do Auxílio Brasil no final do ano passado. Enquanto a ala mais próxima do presidente Jair Bolsonaro queria uma elevação para a casa dos R$ 400, o Ministro dizia que só era possível pagar R$ 300 por família. Ele perdeu a queda de braço.

publicidade

Desde então, Guedes tem adotado discursos mais amenos em relação aos benefícios sociais. Desta vez, ele atua internamente pela aprovação do voucher para os caminhoneiros. Segundo informações da jornalista Andréia Sadi, da Globonews, o Ministro vem dizendo internamente que conta com o apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

O voucher

O voucher de R$ 400 para os caminhoneiros ainda não está devidamente oficializado. Na verdade, membros do Palácio do Planalto ainda estão em fase de discussões sobre o tema. Nem mesmo os valores do benefício estão confirmados ainda.

O que dá para adiantar, é que o projeto será mensal e deverá ser pago apenas para os motoristas que se consideram autônomos. Além disso, é possível que o Governo analise a situação da renda de cada trabalhador para definir quem pode receber o saldo.

De todo modo, todas as questões ainda estão em fase de discussão neste momento. A expectativa é de que dentro de mais alguns dias, o Governo Federal anuncie mais alguns detalhes importantes do projeto como a forma de pagamento e a data do início dos repasses.

Clima no Congresso

O Governo Federal espera que não haja maiores problemas para aprovar o projeto que cria um voucher para os caminhoneiros. Há um motivo para o otimismo: estamos em ano de eleições e o programa tende a ser visto como algo popular pelos eleitores.

publicidade

Nesse sentido, o Governo considera que é pouco provável que boa parte dos deputados votem contra ou se neguem a votar em um texto que pretende beneficiar as pessoas. De todo modo, o Planalto segue se preparando para possíveis críticas.

Aliás, as primeiras delas já começaram a aparecer. Em entrevista, um dos mais conhecidos líderes dos caminhoneiros, conhecido como Chorão, disse nesta terça-feira (21) que o voucher não passa de uma “esmola” do Governo Federal.

publicidade
Clique e Deixe seu Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.