InícioInvestimentosQual o melhor lugar para investir o seu dinheiro em 2021?

Qual o melhor lugar para investir o seu dinheiro em 2021?

Está com aquele dinheiro guardado e não sabe onde investir no lugar certo, obtendo o lucro desejado ainda em 2021? Veja as dicas que separamos abaixo!

A alta da taxa básica de juros da economia, a Selic, para 4,25% ao ano pelo Copom melhora o rendimento das aplicações em renda fixa e poupança, mas ainda não é suficiente para que eles tenham rendimento acima da inflação e por isso, quem quiser preservar o seu poder de compra vai ter continuar tomando mais risco e diversificando seus investimentos.

O Comitê de Política Monetária (Copom), aumentou pela terceira vez seguida a Selic em 0,75 ponto percentual e deixou a taxa de juros básica da economia em 4,25% ao ano. Ainda assim, essa taxa é menor do que a previsão da inflação para o fim de 2021. Segundo o boletim Focus, que reúne a previsão do mercado, o IPCA deve terminar o ano em 5,82%.

Poupança

Quando a taxa Selic está abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança cai de 0,5% ao ano + TR (Taxa Referencial) para 70% da Selic mais TR. Mesmo com a alta da Selic para 4,25%, o rendimento da poupança não chega a 3% ao ano (fica em 2,975% ao ano). Deixar o dinheiro nela por um longo período significa comprar menos coisas no futuro do que compraria agora.

Essa observação só vale para os depósitos na poupança nova. Quem tem dinheiro na poupança antiga continua recebendo 6,17% ao ano, ainda bastante superior ao rendimento da renda fixa atual.

Títulos do Tesouro

Os títulos disponíveis no site do Tesouro Direto são considerados como os investimentos mais seguros porque têm a garantia do Tesouro, ou seja, do governo, e o governo é o último a quebrar.

O Tesouro Selic paga 100% do rendimento da Selic. Assim, quanto maior for a taxa Selic, maior será o rendimento desse título. Por isso, uma expectativa de alta da taxa é boa para quem investe neste papel.

Esse título tem bastante liquidez, ou seja, permite que o investidor transforme a aplicação em dinheiro de forma rápida. É indicado para guardar o dinheiro da reserva de emergência, que não deve visar boa remuneração, mas justamente liquidez.

CDB, LCI, LCA

Esses investimentos de renda fixa devem começar a ter uma rentabilidade melhor na modalidade pós-fixada com o aumento da taxa Selic. Os CDBs pós-fixados vão começar a render um pouco mais dentro desse aumento (para 4,25%) porque seguem a movimentação da Selic.

Como o CDB é um produto que tem um risco privado, de uma empresa, ele remunera melhor o investidor porque embute mais risco. Quanto mais risco do emissor, maior a remuneração.

Por isso, o ideal é investir dentro do limite da garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), espécie de seguro de investimentos que cobre até R$ 250 mil.

Fundos imobiliários

Ao contrário do que muitos pensam, os fundos imobiliários são investimentos de renda variável. Os fundos são uma espécie de condomínio de investidores em imóveis cujo patrimônio pode ser composto por imóveis comerciais, residenciais, rurais ou urbanos, construídos ou em construção, que serão vendidos, alugados ou arrendados.

O retorno do fundo tende a ser maior quanto menores forem juros e inflação. Como a inflação está alta e os juros estão subindo, os investidores já não se sentem mais tão tentados a comprar cotas.

Fundos multimercados

São fundos que podem investir em juros, moedas, ações, podem fazer operações alavancadas, trabalhar com renda fixa. O importante para escolher é ver a rentabilidade histórica, se o gestor entrega bons resultados continuamente.

Ações

A alta da taxa de juros ainda não é tão expressiva a ponto de fazer os investidores deixarem de procurar algum risco para tentar mais retorno do que o investimento na renda fixa, avaliam os especialistas.

Ainda estamos com uma Selic relativamente baixa, não é um ponto em que as pessoas vão olhar para a Selic e ver uma oportunidade tão melhor a ponto de deixar de tomar risco em ações.

Dólar

O dólar não é recomendado por nenhum dos especialistas como investimento. Eles aconselham a compra da moeda apenas para quem for ter alguma despesa em dólar, como viagem de férias, estudo, compras no exterior. Nesse caso, Jayme Carvalho aconselha a ir comprando a moeda aos poucos, para fazer o preço médio.

Para quem quer ter algum investimento atrelado ao dólar, é mais recomendado investir em fundos cambiais ou fundos que aplicam em moeda estrangeira.

Raquel Luciano
Jornalista formada pela Universidade Nove de Julho com experiência na produção de matérias para portais de notícia nos estados do MS, BA, MG e SP. Atualmente é Redatora do Sua Finança.
Leia Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MAIS LIDOS