Connect with us

Financiamento

Financiar imóvel pela primeira vez: Erros comuns

Jéssica Queiroz

Publicado

on

Ao se financiar um imóvel pela primeira vez é muito comum realizar erros que, no futuro, acarretam a venda do próprio imóvel ainda financiado

Financiando um imóvel pela primeira vez, as pessoas costumam buscar apenas as melhores agências de financiamento ou aquelas que cobram um preço mais barato. No entanto, muita das vezes, a decisão de financiar gera erros comuns. Quer evitar esses erros? Leia o artigo abaixo

Financiamento de imóvel O que é?

Financiar imovel 

A grande maioria das pessoas, quando desejam adquirir algum bem de muito valor, buscam formas de realizar um financiamento.

Esses financiamento funcionam como uma espécie de empréstimo que permite com que o sonho da casa própria possa ser realizado.

Muitas pessoas fazem esse financiamento com o intuito de adquirir carros, motos e até mesmo imóveis.

publicidade

Dentro do acordo de financiamento, um determinado haverá um determinado valor para a aquisição do imóvel. Todo o restante desse valor poderá ser pago em parcelas.

Essas parcelas de financiamento podem chegar a até 420 meses, varia de acordo ao financiamento ou instituição financeira responsável.

Devido ao valor das parcelas e quantidade de parcelas a serem pagos em alguns financiamentos de imóvel, pode ser necessário uma avaliação mais ampla de valores quitados de forma correta.

Para que essas obrigações sejam realmente cumpridas, pode ser necessário estar atento a erros comuns que podem ser cometidos ao financiar um imóvel.

Erros que você não pode cometer ao financiar imóvel pela primeira vez

Pode não parecer, mas alguns dos financiamentos de imóveis apenas não dão certo no futuro devido a erros comuns cometidos pelas pessoas.

Ao se pensar em financiar um imóvel próprio, a euforia de escolher o imóvel perfeito, com um valor considerado mínimo pode acabar acarretando erros como:

publicidade

Falta de planejamento

O planejamento de um financiamento de imóvel deve ser a primeira coisa a se fazer antes de realmente realizar o financiamento.

Afinal, é através do planejamento que você saberá se estará apto para arcar com um financiamento em sua vida.

Em momentos de total desespero ou euforia, as pessoas acabam assumindo um compromisso financeiro com o qual podem não estar preparados para arcar.

No entanto, se atualmente você possui o valor para dar entrada em um financiamento, isso será bom. Mas e quanto ao resto das parcelas? Você poderá arcar com aquele mesmo valor daqui 12 meses?

Este pode ser considerado um erro comum, por essa razão, gastos atuais e futuros, questões burocráticas, na maioria das vezes, são fatores a serem planejados.

publicidade

Assumir parcelas altas ou longas de mais

As parcelas de um financiamento podem se estender por meses e meses ou podem ser curtas, mas com um valor considerado alto.

Parcelas longas garantem um valor menor, no entanto, ao estender demais, futuramente poderá acabar lhe prejudicando.

Parcelas curtas pode garantir que você quite logo o financiamento, mas em algum momento, se nada for planejado, você poderá acabar se apertando.

Por isso é importante ficar atento ao valor das parcelas e por quanto tempo elas irão se estender.

Veja Também:

Está “bombando” na Internet:

publicidade

Estudante de letras - português e inglês pela Universidade Cidade Verde da Bahia. Experiência com marketing de conteúdo e tradução para sites e agências. Atualmente atua como redatora profissional de finanças e economia do Sua Finança.

Financiamento

Financiamento de 100%: Saiba como garantir o seu

Jéssica Queiroz

Publicado

on




Financiamento de 100% são um dos tipos mais difíceis de se conseguir, mas não é impossível 

Os financiamentos servem de grande ajuda para quem deseja ter seus próprios bens. Os mais comuns são financiamentos de casas e carros, no entanto, nem todos oferecem grandes valores de financiamento. Por isso, o financiamento de 100% é um dos mais difíceis de conseguir, entretanto, para quem tem conhecimento e se encaixa no perfil, pode ser de fácil solicitação. Veja mais detalhes!

O que é o financiamento de 100%? 

Financiamento de 100%

Imagem: Istock Photos

Os financiamentos geralmente são oferecidos em valores de entrada que variam entre 20% a 50% do valor total de um imóvel ou veículo. 

Por isso, esses são considerados os valores médios de um bom financiamento. No entanto, isso não significa que valores mais altos não podem ser solicitados. 

Como é o caso do financiamento de 100% de um veículo ou imóvel. Neste caso, todo o valor do bem financiado é pago pelo financiamento e todo esse valor também é parcelado. 

Apesar de ser de grande valia para muitas pessoas, esse tipo de financiamento não é oferecido por todas as instituições financeiras. 

O financiamento de 100% ainda é considerado arriscado, devido ao pagamento integral de um bem. 

Como conseguir um financiamento de 100%?

Imagem: Istock Photos

Existem alguns critérios importantes que precisam ser seguidos para que a aprovação do financiamento de 100% seja concedida. 

Por não ser um financiamento fácil de encontrar entre as financeiras e bancos, as exigências podem ser bem rígidas. 

Isso porque, para os bancos e financeiras, esse tipo de financiamento é considerado de alto risco. 

Afinal, caso o cliente deixe de pagar as parcelas referentes a esse financiamento, o prejuízo é consideravelmente maior do que um investimento comum. 

Por isso, as políticas internas para que o financiamento de 100% seja liberado são rígidas. Os critérios a serem analisados neste tipo de financiamento são: 

Score de crédito 

Imagem: Istock Photos

A avaliação do score de crédito é realizada várias vezes dentro da solicitação do financiamento de 100%. 

Esse score fica disponível dentro de órgãos de crédito, como o Serasa ou SPC. É através dele que as instituições sabem se o cliente está ou não devendo. 

Caso o cliente seja um bom pagador, seu score sempre se encontrará no verde. Facilitando ainda mais a solicitação do financiamento. 

Nome limpo 

Para pessoas que possuem o nome sujo por conta de algum tipo de débito mal pago, a solicitação será automaticamente negada. 

Por essa razão, antes mesmo de solicitar o financiamento de 100% é necessário quitar todas as dívidas e limpar o nome no Serasa ou SPC. 

Comprovantes de renda 

Imagem: Istock Photos

Os comprovantes de renda são os passos mais importantes para a aprovação do financiamento. 

Ao ter como comprovar a renda que recebe de forma mensal, o banco ou instituição avalia o cliente como sendo capaz de pagar as parcelas do financiamento. 

É importante lembrar que as parcelas não podem ultrapassar o equivalente a 30% sob o valor de renda mensal do cliente. 

Por isso, quem deseja um financiamento maior do que o comum oferecido, precisa comprovar uma renda maior que 2 salários mínimos.  

Veja Também:



Está "bombando" na Internet:

Continue Lendo

Economia

Governo aumenta IOF para bancar programas sociais

Pedro Hostyn

Publicado

on




Um decreto do Governo Federal estipulou um aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). O reajuste é para pessoas físicas e jurídicas.

O reajuste vem para custear projetos sociais que Bolsonaro quer para as eleições.

A nova alíquota

O aumento do IOF é distinto para ambas as categorias.

Para pessoas jurídicas, a alíquota anual passa de 1,50% para 2,04%, enquanto que para pessoas físicas passa de 3,0% para 4,08%.

A alteração começa a valer no dia 20 de setembro e valerá até o último dia do ano.

Apesar disso, a pequena movimentação pode causar mais um desconforto no bolso da populaçaão, mesmo com o prazo restrito.

Sentindo no bolso

O impacto do aumento do IOF será sentido principalmente nos clientes que buscarão créditos e financiamentos.

Isso porque os bancos sã obrigados a pagar o imposto na hora da contratação de empréstimos e créditos em geral.

Com isso, o cheque especial, o rotativo do cartão e os empréstimos tradicionais podem sofrer um ajuste de até 32% no valor do IOF.

Apesar de não haver tempo hábil para que isso cause um efeito na economia em geral, o aumento de imposto foi criticado pela oposição pela sua finalidade: projetos eleitorais.

IOF

[Imagem: Dziana Hasanbekava – Reprodução]

Porque aumentou?

O Governo Federal vem tentando, a todo custo, acomodar os gastos nos valores do teto e, por isso, a manobra do IOF vem para ser uma solução a Bolsonaro.

Isso porque com o alto valor dos precatórios e a queda de arrecadação que o baixo crescimento da economia vai gerar, os programas sociais do governo ficam sob o risco de perderem força.

Por isso, o aumento vem para financiar o Auxílio Brasil, um substituto do programa Bolsa Família.

Com o reajuste, o aumento na arrecadação será de R$2,4 bilhões, segundo nota divulgada pelo Palácio do Planalto. Por outro lado, a criação do novo programa criará uma despesa obrigatória e recorrente de R$1,62 bilhão.

Com esse rearranjo fiscal, o Governo Federal busca respeitar o teto, ao mesmo tempo em que promove programas sociais, já pensando nas eleições de 2022.

Vale lembrar que o programa Bolsa Família, apesar de não criado pelo partido, tem grande afinidade com o PT, o maior adversário de Bolsonaro na futura corrida eleitoral.

O fantasma da inflação volta

Alguns analistas políticos e economistas alegam que a alta do IOF pode pressionar mais ainda a inflação.

Isso porque um aumento nos custos de financiamentos pode encarecer os produtos nas prateleiras, pelo repasse de preços ao consumidor.

Além disso, um aumento nos empréstimos pode desaquecer a economia e dificultar mais ainda a abertura de empresas no Brasil.

Contudo, o Governo Federal afirma que a permanência da nova taxa até dezembro não deve impactar na economia de forma significativa. Ao mesmo tempo, Paulo Guedes já afirma que a inflação deve diminuir até o fim do ano.

Veja Também:



Está "bombando" na Internet:

Continue Lendo

Financiamento

Banco Inter libera financiamento de imóvel em até 100%

Raquel Luciano

Publicado

on




O Banco Inter divulgou uma grande novidade para quem precisa de dinheiro rápido para construir a casa própria. No começo do mês, o banco lançou uma linha de crédito voltada para o financiamento da construção do imóvel de quem já tem um terreno. Saiba mais sobre essa novidade.

Com esse novo financiamento, a fintech planeja ampliar o número de produtos em sua plataforma, além de atender a uma demanda geralmente deixada de lado.

Critérios para solicitar

Para ter acesso ao empréstimo, o solicitante pessoa física precisa ter um terreno totalmente quitado em um condomínio fechado de casas. Também é necessário já estar com o projeto executivo aprovado pela prefeitura do seu município.

O banco empresta até 100% do valor da obra, a uma taxa de juros de 9% ao ano, mais Taxa Referencial (TR). A dívida pode ser quitada em até 360 meses (30 anos).

O Inter afirma que a nova linha de crédito deve atender a uma demanda crescente no mercado imobiliário. O imóvel construído será usado junto com o terreno como garantia do crédito.

Conheça o Banco Inter

Banco Inter, antigo Banco Intermedium, é um banco múltiplo brasileiro sediado na cidade de Belo Horizonte. Caracteriza-se por ser um dos primeiros bancos digitais do Brasil,[5] e pela ausência de taxas sobre serviços básicos

No final de 2014, o Banco Inter lançou a Conta Digital, uma conta-corrente totalmente gratuita, que pode ser acessada por computadores e celulares e permite depósitos, transferências, pagamento de boletos, saques em qualquer caixa Banco 24 Horas, entre outros serviços.

Em abril de 2016, assim que a resolução nº 4.480 do Banco Central do Brasil passou a vigorar, a abertura de novas contas digitais foi facilitada.

Em 2016, o banco registrou um lucro líquido de R$ 25,5 milhões, com expansão de 10,3% da carteira de crédito para R$ 2,3 bilhões de reais, dentre os quais 52,5% correspondem ao crédito imobiliário.

Já a captação de recursos avançou 32,5% e somou R$ 2,7 bilhões em dezembro de 2016. Neste ano, o Banco ficou em 14º lugar do ranking GPTW (Melhores Empresas para se Trabalhar) na categoria 250 a 999 funcionários em Minas Gerais.

Veja Também:



Está "bombando" na Internet:

Continue Lendo

Financiamento

Crédito imobiliário fica mais barato na Caixa

Pedro Hostyn

Publicado

on




Nessa quinta-feira, 16, a Caixa Econômica Federal anunciou a diminuição das taxas de créditos imobiliários.

Contudo, a queda só valerá para a linha Crédito Imobiliário Poupança Caixa, a partir do dia 18 de outubro.

O que é um crédito imobiliário?

Crédito imobiliário é um meio de pessoas físicas e jurídicas comprarem imóveis através da política de financiamentos.

Isso porque, pelo alto valor de aquisição dos imóveis, o financiamento surge como uma alternativa para a compra parcelada de apartamento e casas, dando mais acessibilidade a esse tipo de compra.

Apesar disso, as diferentes linhas e taxas que compõem o crédito dependem de cada instituição financeira.

Crédito Imobiliário Poupança Caixa

A linha de crédito imobiliário que sofreu mudança é ligada aos rendimentos da poupança da Caixa.

Por isso, os contratos firmados nessa condição têm um reajuste em percentual mais os rendimentos da poupança como juros para os pagadores da dívida.

Vale lembrar que a poupança tem um dos menores rendimentos percentuais do Brasil e, por isso, pode ser bom para financiamentos. Porém, para investimentos, a poupança não é bom negócio.

crédito imobiliário

[imagem: PhotoMix / Pexels]

Queda na taxa

A queda no crédito imobiliário foi de 3,35% para 2,95% ao ano, mais os rendimentos da poupança.

A baixa da taxa vem na mesma sintonia do que fez o banco Itaú na quarta-feira, 15, que baixou a taxa de 3,95% para 3,45%

Segundo Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, a alteração vem por causa do aumento na taxa Selic.

Isso porque os bancos são grandes possuidores de títulos públicos atrelados à taxa básica de juros. Por isso, quanto maior a taxa, maior os ganhos dos bancos.

No caso da Caixa, o banco possui custo de captação menor que os concorrentes, principalmente pelo fato de ser um banco estatal.

Além disso, ele também afirmou que o banco vai reduzir o spread nas linhas de poupança.

O presidente do banco também destacou o melhor resultado mensal para o mês de agosto, com a contratação de R$14 bilhões em crédito habitacional. O valor é 33% maior que no mesmo mês do ano passado.

Boa hora para comprar casa?

Alguns especialistas dizem que, com a baixa das taxas de crédito imobiliário, é uma boa hora para quem deseja comprar uma casa.

Apesar do aumento sucessivo da Selic, ela ainda não chegou no topo e isso é um consenso no mercado.

Por isso, a contratação de financiamentos antes do aumento das taxas permite ao novo proprietário comprar a casa pagando entrada e parcelas menores, ajudando a não pesar no bolso.

Recentemente, com a Selic a 2%, os financiamentos imobiliários bateram recordes e os preços dos imóveis subiu de forma relevante em algumas cidades.

Apesar disso, quem esperar muito pode pegar taxas de juros mais altas.

Veja Também:



Está "bombando" na Internet:

Continue Lendo

Dicas

Financiamento Imobiliário: porque está mais caro?

Pedro Hostyn

Publicado

on




Os financiamentos imobiliários estão ficando mais caros e isso não é um fato isolado.

Os valores e as taxas sofrem a influência da taxa de juros do país, a Selic, que está em alta e atrapalha quem quer realizar o sonho da casa própria.

Movimentos da Selic

A taxa Selic é fundamental para entender os financiamentos imobiliários.

Como é de se esperar, quando a taxa de juros do país sobe, a taxa dos financiamentos também sobe.

Com isso, saber como vai se comportar a taxa de juros permite que você saiba o momento exato de comprar o seu imóvel.

Vai ter que esperar ou comprar agora!

Quem deseja fazer um financiamento imobiliário vai ter que esperar, se quiser pagar menos. Ou deve comprar agora para não pagar a mais no futuro.

Isso porque o Banco Central do Brasil já emitiu nota dizendo que a Selic está subindo e deve permanecer assim até o final do ano.

Para a reunião do dia 21 e 22 de setembro, o mercado financeiro espera uma taxa na casa dos 6,25%, um ponto percentual acima da atual taxa. Mas o aumento pode ser maior!

Por isso, contratar um financiamento agora pode fazer com que você pague mais pelo mesmo apartamento. Além disso, outras coisas mudam.

As mudanças

Além de um financiamento mais caro, algumas coisas também mudam quando a taxa muda.

Uma delas é que o valor da entrada fica mais alto. Isso porque com o valor total do financiamento maior, o percentual de entrada também cresce em valores, e é exatamente por isso que os financiamentos diminuem com a alta da Selic.

Além disso, as parcelas também ficam maiores, cerca de R$300 ou R$400 acima das parcelas que se tem quando a Selic estava a 2%, por exemplo.

Por isso, é importante saber se o valor das parcelas caberá no seu bolso antes de adquirir.

financiamento imobiliário

[Imagem: Pexels – reprodução]

Como os bancos estão se mexendo

Por causa dessa alta, diversos bancos que trabalham com financiamentos imobiliários já reajustaram as suas taxas.

O Banco Itaú, por exemplo, aumentou o percentual dos juros e colocou em 7,3% + a taxa referencial (hoje em 0). O mesmo patamar do Banco Bradesco.

Por outro lado, o Santander colocou taxas maiores, ficando em 7,99%.

Apesar de ser uma pequena diferença percentual, esses números fazem diferença no longo prazo. Isso porque o financiamento pode durar 10, 20, até 30 anos, e esses 0,6% incidirá sobre todo o valor financiado.

Dessa forma, é importante que o cliente pense bem e faça os cálculos corretamente antes de contratar um financiamento.

Falar com especialistas de diferentes bancos pode ajudar bastante nessa hora.

Enquanto isso

Até você assinar de fato o seu financiamento imobiliário, você pode deixar os valores da entrada rendendo para você.

Como a alta da Selic atrapalha no preço das parcelas, ela pode ser usada para fazer render mais o valor da entrada.

Assim, na hora que você perceber uma taxa Selic em momento de queda, você pode resgatar os valores, contratar parcelas mais baixas e, no final das contas, pagar menos para realizar o seu sonho.

O mais importante é manter o foco. Pensar com frieza até que você tenhas as chaves na mão!

Veja Também:



Está "bombando" na Internet:

Continue Lendo

Financiamento

Banco Inter anuncia novo serviço na modalidade de crédito imobiliário

Raquel Luciano

Publicado

on




O Banco Inter, plataforma financeira e de investimentos, colocou na praça sua nova modalidade de crédito imobiliário para obras e loteamentos.

Conforme o banco, o objetivo é investir na construção de casas em condomínios fechados, e a oferta poderá ser direcionada, também, aos clientes da Urba, que é a empresa de loteamentos da família fundadora do Inter.

Também disse que o serviço de crédito imobiliário terá taxas de juros de 9% ao ano e prazo de pagamento em até 360 meses.

E acrescentou que a parcela do crédito imobiliário não pode ser mais do que 30% da renda do consumidor, e o terreno já deve estar quitado, pois será cedido ao banco como garantia pelo empréstimo.

Meta do Banco Inter é fortalecer a parceria com os clientes

Ainda de acordo com o banco, a meta do grupo é avançar no segmento imobiliário, fortalecendo as modalidades de financiamento, crédito imobiliário e afins.

Com relação a essa linha para construção e crédito imobiliário, ela deverá atender, também, clientes de loteamentos abertos.

Mais à frente o Inter poderá lançar uma linha específica para aquisição dos terrenos, principalmente por esta ser uma demanda antiga de sua clientela.

Vale lembrar que o banco tem sido ousado na portabilidade de crédito imobiliário, e já captou clientes da concorrência ao excluir a taxa de avaliação de imóvel e despesas cartorárias pela transferência da dívida.

Análise sobre as mudanças do banco

O Banco Inter pode entregar muito mais com a expansão de sua participação nos mercados em que atua. E iniciativas como essa nova linha de crédito só fortalecem essa tese.

Entretanto, deve-se ressaltar que ainda que existam riscos de execução a serem tratados nos próximos anos relacionados ao crescimento e monetização do cliente.

As gestoras dizem acreditar que os níveis de avaliação atuais, que implicam uma participação de mercado de 2-3% no longo prazo, são conservadores, deixando espaço para ganhos adicionais daqui para frente.

O Inter está listado na bolsa brasileira (B3) sob o ticker BIDI11.

Veja Também:



Está "bombando" na Internet:

Continue Lendo

Title

Selic Banco Central Selic Banco Central
Economia23 minutos atrás

Selic: Banco Central sobe juros para 7,75%

O mercado já esperava uma alta da Selic e ela veio conforme o esperado. O aumento da taxa Selic foi...

Ibovepa Ibovepa
Investimentos3 horas atrás

Ibovespa: à espera da Selic, índice fica de lado

O Ibovespa ficou de lado hoje, à espera da definição das taxas e juros na economia brasileira. A nova Selic,...

Ciro Gomes Petrobrás Bolsonaro Ciro Gomes Petrobrás Bolsonaro
Política4 horas atrás

Ciro Gomes critica a política de privatização da Petrobrás

Em mais uma de suas fortes declarações, o presidenciável Ciro Gomes se manifestou em sua rede social, se colocando contra...

Selic dólar banco central Selic dólar banco central
Economia8 horas atrás

Selic e dólar: o que podemos esperar daqui em diante?

O Banco Central, através do COPOM, falará ao mercado qual a nova taxa básica de juros do Brasil, a Selic....

exportação de carne exportação de carne
Economia8 horas atrás

Exportação de carne: por que a China barrou o Brasil?

Desde o dia 4 de setembro, a China barrou a entrada de carnes provenientes do Brasil. Com isso, a exportação...

10 fundos de investimentos que mais renderam no C6 Bank 10 fundos de investimentos que mais renderam no C6 Bank
Investimentos10 horas atrás

10 fundos de investimentos que mais renderam no C6 Bank

Diante das incertezas no cenário político-econômico e da alta da taxa básica de juros (a Selic), muitos investidores estão aumentando...

EURP11 EURP11
Renda Variável24 horas atrás

EURP11: investindo na Europa pela B3

Se você pensou que não podia investir no mercado europeu, está enganado, pois o EURP11 serve justamente para isso. Da...

Ibovespa Ibovespa
Investimentos1 dia atrás

Ibovespa fecha em queda com dados da inflação

O Ibovespa fechou mais uma vez em queda. Hoje, os motivos do mercado para as fortes vendas ficaram a sob...

CPI da Covid Bolsonaro CPI da Covid Bolsonaro
Política1 dia atrás

CPI da Covid mira Bolsonaro e outros políticos

A CPI da Covid votou, nesta terça-feira (26), o relatório final da comissão e solicitou o afastamento do presidente Jair...

99Pay lança cashback com pagamento em bitcoin 99Pay lança cashback com pagamento em bitcoin
Moedas e Câmbio1 dia atrás

99Pay lança cashback com pagamento em bitcoin

A 99Pay, carteira digital do app de transporte 99, anunciou que vai incluir em sua plataforma um sistema que permite...

Mais lidos