Connect with us

Sem categoria

INSS: o que pode cancelar o seu benefício? Confira

Publicado

on

Mensalmente, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) realiza um “pente-fino” nos dados cadastrais dos seus segurados. Antes de mais nada, é importante destacar que é possível verificar se o aposentado ou pensionista ainda está elegível ao recebimento do benefício.

Devido ao procedimento, milhões de segurados têm o seu abono bloqueado, até que resolva a inconsistência. Só em 2021, cerca de 5,2 milhões de pessoas tiveram seus benefícios cancelados pela autarquia.

Já neste ano de 2022, até o momento, 1,23 milhões obtiveram o mesmo destino mediante a análise mensal do INSS. Os motivos que originam a suspensão dos pagamentos são diversos. Confira alguns deles a seguir.

Situações em que o benefício do INSS pode ser bloqueado

Veja os principais motivos que podem gerar a suspensão ou o cancelamento do benefício do INSS:

publicidade

Não comparecimento na perícia médica (no caso de benefícios por incapacidade);
Permanência no trabalhado com condições insalubres após o recebimento da aposentadoria especial;
Dados desatualizados no Cadúnico (em casos de benefícios assistenciais tal como o BPC);
Não movimentação do benefício em um período de 60 dias ou mais;
Sinais de fraude no recebimento do benefício;
Reaparecimento do titular com morte registrada, em casos de pensão por morte;
Fim do período de duração da pensão por morte;
Acúmulo de duas pensões simultâneas (uma será cancelada);
Fugitivo da prisão (no caso do auxílio-reclusão pago aos dependentes do indivíduo que estava preso).

De todo modo, é importante destacar que cada benefício possui suas próprias regras de concessão. Sendo assim, é importante sempre estar elegível aos critérios do abono que recebe. Mais informações podem ser encontradas no site “Meu INSS”.

Benefícios concedidos pelo INSS

Atualmente a autarquia é responsável pelo pagamento dos seguintes abonos:

Aposentadoria da Pessoa com Deficiência por Idade;
Aposentadoria da Pessoa com Deficiência por Tempo de Contribuição;
Aposentadoria especial por tempo de contribuição;
Aposentadoria por Idade Rural;
Aposentadoria por Idade Urbana;
Aposentadoria por invalidez;
Aposentadoria por Tempo de Contribuição (exclusiva a segurados incluídos na regra de transição);
Aposentadoria por tempo de contribuição do professor;
Auxílio-Acidente;
Auxílio-doença acidentário;
Auxílio-doença comum;
Auxílio-Reclusão Rural;
Auxílio-Reclusão Urbano;
Benefício de Prestação Continuada (BPC);
Benefício para os trabalhadores portuários avulsos;
Pensão especial da síndrome da Talidomida;
Pensão especial destinada a crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus;
Pensão especial por hanseníase;
Pensão por Morte Rural;
Pensão por Morte;
Salário-família;
Salário-maternidade;
Seguro-defeso.

Mensalmente, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) realiza um “pente-fino” nos dados cadastrais dos seus segurados. Dessa forma, é possível verificar se o aposentado ou pensionista ainda está elegível ao recebimento do benefício.

publicidade

Devido ao procedimento, milhões de segurados têm o seu abono bloqueado, até que resolva a inconsistência. Só em 2021, cerca de 5,2 milhões de pessoas tiveram seus benefícios cancelados pela autarquia.

Já neste ano, até o momento, 1,23 milhões obtiveram o mesmo destino mediante a análise mensal do INSS. Os motivos que originam a suspensão dos pagamentos são diversos. Confira alguns deles a seguir.

Situações em que o benefício do INSS pode ser bloqueado

Veja os principais motivos que podem gerar a suspensão ou o cancelamento do benefício do INSS:

Não comparecimento na perícia médica (no caso de benefícios por incapacidade);
Permanência no trabalhado com condições insalubres após o recebimento da aposentadoria especial;
Dados desatualizados no Cadúnico (em casos de benefícios assistenciais tal como o BPC);
Não movimentação do benefício em um período de 60 dias ou mais;
Sinais de fraude no recebimento do benefício;
Reaparecimento do titular com morte registrada, em casos de pensão por morte;
Fim do período de duração da pensão por morte;
Acúmulo de duas pensões simultâneas (uma será cancelada);
Fugitivo da prisão (no caso do auxílio-reclusão pago aos dependentes do indivíduo que estava preso).

De todo modo, é importante destacar que cada benefício possui suas próprias regras de concessão. Sendo assim, é importante sempre estar elegível aos critérios do abono que recebe. Mais informações podem ser encontradas no site “Meu INSS”.

publicidade

Benefícios concedidos pelo INSS

Atualmente a autarquia é responsável pelo pagamento dos seguintes abonos:

Aposentadoria da Pessoa com Deficiência por Idade;
Aposentadoria da Pessoa com Deficiência por Tempo de Contribuição;
Aposentadoria especial por tempo de contribuição;
Aposentadoria por Idade Rural;
Aposentadoria por Idade Urbana;
Aposentadoria por invalidez;
Aposentadoria por Tempo de Contribuição (exclusiva a segurados incluídos na regra de transição);
Aposentadoria por tempo de contribuição do professor;
Auxílio-Acidente;
Auxílio-doença acidentário;
Auxílio-doença comum;
Auxílio-Reclusão Rural;
Auxílio-Reclusão Urbano;
Benefício de Prestação Continuada (BPC);
Benefício para os trabalhadores portuários avulsos;
Pensão especial da síndrome da Talidomida;
Pensão especial destinada a crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus;
Pensão especial por hanseníase;
Pensão por Morte Rural;
Pensão por Morte;
Salário-família;
Salário-maternidade;
Seguro-defeso.

INSS se prepara para pagar 2ª parcela do 13º salário

O 13º salário é pago costumeiramente no fim de ano. Todavia, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) antecipou os pagamentos do abono extra para o primeiro semestre deste ano.

Os pagamentos da primeira parcela do 13º salário seguiram até a última sexta-feira (6). Agora, há uma expectativa para recebimento da segunda parcela do benefício.

Veja: Saque duplo de quase R$4 mil do FGTS tem pagamentos confirmados

publicidade

Conforme informações do INSS, o pagamento do abono extra é feito para aposentados, pensionistas e demais beneficiários da autarquia.

Por fim, é importante destacar que tanto os segurados que recebem apenas um salário mínimo quanto aqueles que ganham uma mensalidade superior estão recebendo os valores do salário extra.

publicidade
Clique e Deixe seu Comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.