Casa própria com juros fixos: novo modelo de financiamento oferecido pela Caixa

Uma das grandes vantagens da vida de adulto é a independência que sempre sonhamos em ter, mas para isso, é necessário pensar em algo muito importante que essa independência exige, comprar ou alugar um imóvel.

Um dos maiores sonhos de uma pessoa é em conquistar a casa própria, e muitas dúvidas e perguntas surgem a esse respeito.

Para facilitar a realização do sonho de muitas pessoas, a Caixa Econômica Federal lança uma nova categoria de financiamentos com taxas de juros fixas, que não variam ao longo do tempo, sendo essa uma linha de crédito habitacional. Isso permite que ao financiar o seu imóvel você já saiba quais serão os valores de todas as parcelas, e principalmente, o valor final que será pago pela sua casa.

Com a ajuda e apoio do Ministro da Economia do país, Paulo Guedes, a idéia desse novo modelo se financiamento estava sendo discutida e foi aprovada. Como forma de despertar mais interesse em quem tem o sonho de comprar a casa própria, o pensamento inicial desse novo modelo de financiamento era eliminar algumas taxas, como a taxa referencial e da inflação, conhecidas como correções monetárias. O que se pensava anteriormente é que essa nova linha de crédito não seria disponibilizada de forma rápida, mas para nossa surpresa, ela já esta valendo e a Caixa já oferece essa opção aos seus clientes.

Inflação

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o mercado de imóveis está crescendo cada vez mais, e informou que no final do mês de Agosto de 2019 o IPCA ajustou a linha de financiamento, passando as taxas de juros anuais para 2,5% e 4,95%, o que fez com que em um período muito curto milhões de reais fossem emprestados pela Caixa, além dos mais de R$500 milhões que foram avaliados pela instituição e ainda iriam ser emprestados. Com o ajuste feito, as consultas realizadas no site cresceram muito, e chegaram a R$2,1 milhões somente nesse período de mudança.

No momento em que ainda se pensava nessa nova proposta, Pedro afirmou que nos primeiros cinco anos do contrato existe risco inflacionário mas que em decorrência ao cenário e melhora econômica do país a probabilidade é que esse risco diminuísse.

Ele ainda frisou o quanto é importante que o campo da construção procure maneiras de se tornar independente, não necessitando do governo e de outros meios clássicos como a tradicional poupança e o FGTS.

Segundo ele, se tornando mais dependente e ter o próprio mercado financeiro ajudando nesse campo, como ocorre na maioria dos outros países, e não ter que sempre esperar do governo trás a previsibilidade que tanto se busca. Para alcançar esse objetivo e como sugestão do Ministério da Economia uma das idéias é acabar com o monopólio do FGTS pela Caixa.

Acabar com o monopólio da Caixa

O Ministério da Economia analisa a possibilidade de acabar com o monopólio da Caixa sobre a administração e gestão do FGTS, um tipo de poupança que é realizada por todos que trabalham com carteira assinada, como forma de favorecer e melhorar o mercado de imóveis.

Além disso, o Ministério busca uma nova maneira de modificar como são realizados os aportes no Minha Casa Minha Vida, uma  vez que em 2018 o valor recebido pela instituição chegou a R$5,1 bilhões, pelo fato do banco receber 1% de todos os ativos do programa.

Segundo Igor Vilas Boas, diretor do departamento do FGTS, o Brasil é um país muito grande para deixar tudo na mão de um único banco, sendo que o país necessita de uma modernização do FGTS e a Caixa não está nos planos de se manter como monopólio do programa.

Esse pensamento decorre de que outras instituições financeiras poderiam fazer o mesmo serviço e cobrar menos por isso, além de proporcionar mais benefícios e retornos através de aplicações aos trabalhadores.

Novo financiamento da Caixa com juros fixo

Com essa nova linha de financiamento oferecido pela caixa, você poderá financiar o seu imóvel próprio com taxas de juros que são fixas e podem ser anualmente de 8% a 9,75%. A grande vantagem desse novo modelo de crédito é que como os juros são fixos eles não irão variar ao longo do tempo, o que permite saber qual será o valor final e total pago pelo financiamento do seu imóvel.

A grande desvantagem dessa nova linha é que as taxas de juros são bem maiores, saindo de 2,95% ou 6,5% ao ano, para 8% chegando a até 9,75%

Nos outros modelos de financiamento oferecidos pela Caixa as taxas de juros sofrem alteração de acordo com a inflação e a taxa referencial.

O financiamento com juros fixos pode ser usado para compra de imóveis residenciais, seja ele novo ou usado, permitindo o financiamento de ate 80% do valor com prazo de até 30 anos para quitação total da dívida.