Financiamento Imobiliário: qual o limite máximo que posso solicitar para compra de um imóvel?

Você tem o sonho de comprar um imóvel próprio e sempre esta buscando mais informações para saber como alcançar o seu objetivo e financiar a sua casa própria? Nesse artigo vamos falar o que é importante e como você poderá alcançar os seus objetivos.

O primeiro passo é que você busque saber o que o mercado imobiliário pode te oferecer quando o assunto é o financiamento de imóveis, e além disso, é fundamental que se tenha planejamento.

Ter planejamento e uma vida financeira organizada é importantíssimo quando se pensa em solicitar um financiamento, isso porque será uma dívida que você manterá durante um bom tempo, e para não se atrapalhar com as contas é necessário que tenha muito comprometimento.

Para que você saiba qual o valor que poderá pegar para financiar o seu imóvel, e como o cálculo desse valor máximo é realizado, vamos falar mais sobre esse assunto para que você fique por dentro de tudo!

Qual limite máximo posso solicitar para a compra de um imóvel?

Cada instituição financeira determina qual o valor máximo que poderá ser solicitado em um financiamento imobiliário. A própria instituição estabelece suas táticas ou utilizam as normas propostas pelo governo para determinar qual será o valor da propriedade que esta disponível para ser financiada. O valor que for colocado sobre o imóvel a ser financiado é dito como teto máximo.

Alguns critérios são estabelecidos e ajudam a determinar qual será o valor do teto máximo, e mostraremos aqui cada um deles.

SFH e SFI

O SFH disponibiliza o financiamento de imóveis com valor máximo de até R$1,5 milhão, permitindo que até 80% referente ao valor total do imóvel seja financiado, já o SFI são para imóveis com valor superior a R$1,5 milhão sendo que assim como o SFH, até 80% do valor total pode ser financiado.

Os dois sistemas foram originados pelo governo, porém instituições financeiras privadas também os utilizam para determinar os valores que serão colocados, mas cada uma delas definem quais são os critérios e condições para solicitar e contratar o financiamento, o valor que poderá ser financiado e o teto máximo correspondente ao imóvel.

Como em todo tipo de financiamento taxas de juros são aplicadas, e no caso do SFH e SFI existe um limite anual de juros de 9,75% sobre o valor,e também é cobrada a Taxa Referencial que tem um limite mínimo anual de 8,5% sobre o valor do imóvel.

SBPE

A sigla significa Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo e trata-se de outro modelo de financiamento que pode ser proposto e se torna outra alternativa para que você consiga o crédito para compra do seu imóvel.

Nesse tipo de financiamento apenas metade do valor do imóvel pode ser financiado, ou seja, a outra metade tem que ser dada como entrada da compra, o que foi determinado pelo próprio governo.

Assim como nos outros tipos de sistemas citados as instituições privadas também disponibilizam esse modelo de sistema, mas com a liberação de uma porcentagem maior do valor do imóvel, chegando a até 80% referente ao valor.

FGTS

A Linha pró-cotista é outra alternativa de financiamento imobiliário que é disponibilizado para quem contribui mensalmente com o FGTS.

Para solicitar esse modelo de financiamento existem duas possibilidades, sendo necessário ter pelo menos 36 meses de trabalho pelo FGTS ou saldo contabilizado que é estipulado a 10% do valor do imóvel.

Qual financeira devo escolher para solicitar o financiamento e o que devo analisar no momento da contratação?

Para escolher a melhor instituição financeira e a que mais se encaixa com aquilo que você precisa, você deverá levar em consideração alguns pontos fundamentais.

Cada modelo de financiamento estabelece suas próprias regras, então primeiro é necessário decidir qual será a linha que você utilizará. Caso escolha utilizar o FGTS alguns critérios são estabelecidos e serão analisados, sendo eles os mesmos para solicitar o SFH.

Verifique sempre qual será o valor total que será pago pelo financiamento, lembrando que quando maior o prazo para quitação da dívida, maior serão as taxas de juros aplicadas, então, avalie o Custo Efetivo Total.

Selic menor abre espaço para aumento de percentual financiado na ...

Algumas formas de financiamentos imobiliários são disponibilizados apenas por instituições financeiras públicas, mas como forma de conseguirem realizar os financiamentos, as instituições privadas liberam o crédito com taxas de juros menores, e isso pode ser uma boa opção.

Além disso, existem outros gastos que devem ser pensados antes de realizar o compra do imóvel, pois não trata-se apenas do valor financiado em sí. Existe todo um gasto com documentação, cartório e outros gastos que podem surgir para financiar o seu imóvel. Normalmente os outros gastos além do valor do imóvel correspondem a cerca de 5% do valor total, então, faça o seu planejamento financeiro para que consiga arcar com todos os gastos que virão para realizar a compra.

Saiba mais sobre o financiamento de imóveis clicando aqui, temos várias dicas para que você tome a melhor decisão!