Renda Fixa e Renda Variável: saiba como funciona cada uma delas na hora de investir

Cada modalidade de investimento apresenta uma série de características e diferenças que devem ser conhecidas, o que faz com que investir seja algo bastante diversificado. Saber o que quer dizer Renda Fixa ou Renda Variável e quais aplicações fazem parte de cada uma delas, é importante na hora de fazer o seu investimento.

Entenda e saiba a diferença entre Renda Fixa e Renda Variável

Os investimentos de renda fixa são aqueles cuja lucratividade do investimento pode ser calculada no momento em que for realizada a aplicação, e quando é possível saber a forma de cálculo, de modo que o investidor consiga sempre saber qual será a sua rentabilidade.

Os Fundos DI e de Renda Fixa, os CDBs, a tradicional poupança e os títulos públicos são exemplos de investimentos de renda fixa.

Esse tipo de aplicação é considerado de maior segurança, sendo assim mais indicada para os investidores com o perfil mais conservador, pelo fato da possibilidade de saber antecipadamente qual será o retorno ou sua forma de cálculo.

Todo e qualquer investimento apresenta riscos!

Prejuízos podem ocorrem, mesmo que não seja tão comuns, caso no final da aplicação ela se apresente menos lucrativa do que outros investimentos que apresentam risco semelhante e que estão disponíveis no mesmo período, ou até mesmo se o emissor do título descumprir com o compromisso realizado.

Já quando se realiza um investimento de Renda Variável, quem esta aplicando suas finanças não consegue saber qual será o retorno obtido, pois o valor das aplicações sofre alterações constantemente, sendo sempre mudado por fatores que afetam o mercado financeiro, a economia e as empresas. Quando se investem em ações, tem-se a renda variável.

Quando se investe com renda variável, o lucro e o rendimento que o investimento proporciona são maiores, exatamente por não proporcionar tanta segurança ao investidor, trazendo assim, riscos. O maior lucro ocorre principalmente se o investimento for realizado de forma bem pensada e escolhida com bastante critério, dente os diversos tipos de aplicações que podem ser realizadas.

Assim como pode ocorrer em um determinando momento da economia a desvalorização das ações, o contrário também pode acontecer. E para quem deixa o dinheiro aplicado por um período de tempo maior, a desvalorização ocorrida pode ser revertida, por isso é importante que o dinheiro investido não precise ser utilizado antecipadamente.

Na hora de escolher o melhor tipo de investimento, no caso da Renda Variável, a idade do investidor deve ser levada em consideração. Pois quanto mais jovem o investidor, mais tempo ele poderá continuar a investir, e no futuro, poderá ter um retorno atraente das empresas listadas na bolsa de valores.

Já os investidores de maior idade, pensam em juntar recursos para a aposentadoria, o que faz com que eles arrisquem menos, sempre buscando aplicar seu dinheiro de forma segura.